VOCÊ SABE QUEM É?
Estas pessoas são citadas nos seriados uma ou duas vezes. Mas, sinceramente, você sabe quem são elas?

Angelica María
   Angelica María   Certamente você já viu naquele episódio do Chaves com um refrão famoso que diz "As pessoas boas devem amar seus inimigos" o Seu Madruga dizer para o Seu Barriga que queria ser inimigo da Angelica María. Bem, mas quem é ela? Ao contrário do que parece, Angelica María não é uma desconhecida ou alguém da vizinhança do Seu Madruga. Ela é uma veterana atriz de novelas mexicanas, e é considerada, vejam só, la novia de México (ou seja, a namoradinha do México)! Angelica María apareceu recentemente no Brasil como Soledad Romero, mãe da Rosalinda, na novela estrelada por Thalía.

Perry Mason
Cartaz de filme do advogado Perry Mason Perry Mason é citado duas vezes pelo Seu Madruga no episódio em que o Chaves atropela o gatinho do Quico. É célebre o seu diálogo com o professor Girafales: "Eu dizia que, por que nós não tentamos resolver isso numa espécie de júri?"; e o Seu Madruga responde: "Olha, como nos programas de televisão daquele advogado, o Pede Mais Um"; e por fim, Girafales corrige: "Perry Mason!!" Perry Mason foi um advogado de defesa criado por Erle Stanley Gardner e surgiu como personagem no início dos anos 30, depois de alguns anos de histórias policiais de estilo sensacionalista publicadas pelo autor, que também era advogado. Perry Mason é um advogado criminalista capaz, nas novelas iniciais, de utilizar a força e métodos menos ortodoxos para conseguir provar a inocência dos seus clientes perante o tribunal. A personagem tornou-se, com o passar do tempo, mais branda nos seus métodos, sem com isso perder a obstinação que o levava, por meio de raciocínios e interrogatórios brilhantes às testemunhas, a sair triunfante e a inocentar os seus clientes. Perry Mason não atuava sozinho. Da sua equipe faziam parte o investigador Paul Drake e Della Street, a secretária fiel. As relações possíveis entre Mason e Della são um dos ingredientes ativos das novelas: os leitores especulavam sobre qual a natureza do seu relacionamento - estritamente profissional? E iria Gardner, alguma vez, casá-los? A indefinição mantinha-se. Mason chega, por duas ou três vezes, a declarar-se a Della, mas esta não o aceita como marido (embora seja capaz de fazer tudo por ele) alegando que não seja o tipo de homem feito para ser casado. Perry Mason tornou-se o mais célebre advogado protagonista de romances policiais. Adaptações a teatro, a cinema e a televisão ajudaram a popularizá-lo ainda mais.

Columbo
Columbo, interpretado por Peter Falk Na segunda parte do episódio da Festa da Boa Vizinhança (teatro do Chapolin) Seu Madruga diz que o Quico vai fazer o papel de mal. Como o Quico não tem uma inteligência que se diga, que inteligência tem esse cara, acabou entendendo tudo errado. Pra se livrar do tabefe da Dona Florinda, Seu Madruga diz que a moda é os vilões serem bonitos e os heróis serem feios. E aí cita os heróis feiosos: O Columbo, o Kojak, o Chapolin Colorado. Mas quem são eles (claro que o Chapolin você conhece, né?)? Primeiro vamos ao Columbo. "Columbo" foi criado por William Link e Richard Levinson. Era um tenente da seção de Homicídios da Polícia de Los Angeles. Ele resolvia os casos através da cuidadosa análise de todas as pistas. O aspecto pouco cuidadoso de sua aparência (isso por causa da famosa gabardine, sua imagem de marca, e o charuto meio roído) levava os criminosos a pouco se preocuparem com o Tenente Columbo e conseqüentemente a cometerem erros fatais. Como todas as séries, "Columbo" tinha uma fórmula, um padrão que todos os episódios seguiam, e que, pelo menos parcialmente, era responsável pelo sucesso da série. Ao contrário de quase todas as outras, sabia-se logo no inicio do episódio quem era o assassino. Depois era apreciar o caminho que Columbo percorria até chegar à solução do mistério. Em todos os episódios havia sempre três fatores presentes: os comentários, ainda que vagos que Columbo sempre fazia sobre a sua mulher e o seu passado; a clássica frase "just one more thing..." que Columbo sempre usava para tentar desmascarar o assassino; a música "This old man came rolling home" que ou aparecia como música de fundo ou era o próprio Columbo que a cantava entre dentes. Os episódios mais conhecidos de Columbo, e sem dúvida os melhores, foram os produzidos entre 1971 e 1978 para a Universal Studios. Protagonizados por Peter Falk, estes episódios não tinham qualquer elenco fixo para além dele próprio, apesar de vários personagens terem entrado em mais do que um episódio. Foi o caso de George Hamilton e William Shatner, que desempenharam papéis de assassinos em confronto com Columbo. Quando a série terminou em 1978, "Columbo" era uma das séries de televisão mais famosas de sempre, e a partir daí começaram de imediato a surgir rumores do seu regresso.

Kojak
Kojak, interpretado por Telly Savalas Ah!!! falta o Kojak, também citado na segunda parte do episódio da Festa da Boa Vizinhança e no episódio "Confusão no cabelereiro". Quem diria que um policial careca e desbocado faria sucesso em meio às diversas séries policiais que infestaram as TVs americanas e mundiais nos anos 70? No programa, o tenente Theo Kojak era um policial durão que, contrariando seu visual austero, adorava chupar pirulitos pelas ruas de Nova Iorque. Todavia não foi somente seu apreço por guloseimas que o diferenciou das demais séries da época. Columbo, Baretta ou mesmo Starsky e Hutch não compartilhavam de seu sucesso com o público feminino; reflexo de seu estilo "cool" ou, segundo as telespectadoras, de sua sedutora careca. Nada ortodoxo, Kojak preferia usar das artimanhas das ruas em vez dos métodos burocráticos dos policiais convencionais, valendo-se também de um senso de humor irresistivelmente cínico. Trabalhavam com ele, no 13º distrito de Polícia de Manhathan os detetives Stavros (vivido pelo irmão do protagonista, George Savalas), Saperstein ( Mark Russel ) e Rizzo ( Vince Conti). Completavam o elenco o detective-chefe Frank McNeil (ex-parceiro de Kojak nas ruas, vivido por Dan Fraser) e o tenente Bobby Crocker (Kevin Dobson). Além disso, atores, hoje consagrados, como James Woods e Harvey Keitel, tiveram a oportunidade de figurar no seriado. Apesar de contar com a ajuda de seus colegas, Kojak gostava mesmo era e trabalhar sozinho; até porque poucos parceiros suportavam seu humor ferino por muito tempo. Kojak apareceu pela primeira vez no telefilme The Marcus-Nelson murders. O sucesso desta produção abriu terreno para a série, na rede ABC, que durou 115 episódios, produzidos entre de 24 de outubro de 1973 e abril de 1978; todos exibidos no Brasil na rede Globo, num passado remoto. O seriado era protagonizado por Telly Savalas, cujo verdadeiro nome era Aristotle Savalas. Nascido em Long Island, subúrbio de Nova York, era filho de gregos. E engana-se quem pensa que sua careca era um "dom" natural. Savalas raspou a cabeça pela primeira vez em 1965, para fazer o papel de Poncios Pilatos no filme A maior história de todos os tempos. Outros trabalhos importantes foram os filmes Juventude selvagem (com Burt Lancaster), Os doze condenados e Reencontro dramático no Poseidon (dirigido por Irwin Allen). Também enfrentou James Bond no filme 007 a serviço secreto de Sua Majestade, no qual fez o vilão Blofeld. Infelizmente, como este não é considerado um dos melhores da cinessérie, sua personagem não obteve o destaque merecido. Apesar da carreira de razoável sucesso no cinema, nunca se livrou do estigma de sua personagem mais popular (Não que isso o incomodasse). Sua atuação na série lhe rendeu um Emmy, o "Oscar da televisão" e até a gravação de um disco de canções românticas. Por aqui, sua popularidade foi tanta que o nome Kojak tornou-se sinônimo de calvície, virando até tema de marchinha carnavalesca: "Kojak mete bronca na moçada/é tira valente, respeitado(...)". Entre 1989 e 1990, aos 65 anos, protagonizou uma série de novos longas do detetive careca, desta vez para o ABC mystery movie. Em seus últimos anos, afastado das telas, era mais citado pelo fato de ser padrinho da atriz Jennifer Aniston, a Rachel do sitcom Friends. Savalas morreu em 1994, aos 70 anos, vítima de câncer, em um hotel de Los Angeles. Seu dublador, Joaquim Motta, mudou de profissão e, hoje, é pai-de-santo.

Starsky and Hutch
  Starsky & Hutch  Esse seriado foi citado pelo Quico (durante uma das suas valorosas perguntas que sempre terminam com "não deu!" [¡me doy!]) em um episódio de Chaves do qual eu não me lembro no momento, mas prometo que vou procurar em meus arquivos. Para os detetives Dave Starsky, interpretado por Paul Michael Glaser, e Ken Hutch, interpretado por David Soul, trabalhar em dupla significa diminuir os riscos durante o trabalho, especialmente, quando essa dupla de policiais conhece tão bem o estilo um do outro. Eles não são nenhuma dupla de super-heróis que combatem o crime nas ruas de Los Angeles. Os detetives Starsky e Hutch eram, aparentemente, diferentes como a água para o vinho. Ken Hutchinson optou para uma vida tranqüila, gostava de ler e de uma boa cozinha. Dave Starsky, por outro lado, era barulhento, gostava da vida na rua e sua dieta era junk food. Suas personalidades contrastantes, porém, quando juntas faziam uma dupla perfeita operando e pensando como um, enquanto perseguiam traficantes, assassinos, estupradores, e toda sorte de foras-da-lei. Patrulhando a cidade num estranho Ford Torino, Starsky e Hutch não se queixam de enfrentar quadrilhas de traficantes ou ladrões de banco. Quando "Starsky & Hutch" estreou em 10/09/1975 trouxe a violência e a excitação dos filmes como "Dirty Harry" para a telinha. Foi cancelada em 15/05/1979, com 92 episódios produzidos.

O Gato Felix
  O gato Felix  O gato Felix foi citado no episódio do Chapolin Colorado em que dois arqueólogos (um é Ramón Valdéz e o outro é Carlos Villágran) encontram um esqueleto. Quando o Chapolin suja a cara toda de lama preta, o professor Imbecil (Ramón Valdéz), chefe da expedição arqueológica, confunde-o com o dito cujo. E aí vai a história. Você sabia que o Gato Felix foi a primeira imagem a ser transmitida em um receptor de TV? Isso aconteceu em 1928 nos laboratórios da RCA Research Labs. Foi utilizado um boneco de Felix para efetuar os testes com um equipamento revolucionário e que o mundo jamais sonhara poder existir, a Televisão. Felix foi criado pelo cartunista Otto Messmer, na década de 1910, em uma revista chamada Feline Follies. Messmer tinha planos de fazer algo diferente com seu personagem, um gato preto e branco. Seu pupilo, o jovem Joe Oriolo, que mais tarde se tornaria mais um nome lendário da animação, começou a trabalhar com o personagem. Felix ficou tão famoso que Charles Lindbergh pediu autorização a Otto e Oriolo para usá-lo como mascote de seu histórico vôo sobre o Atlântico. Messmer e Oriolo começaram então a desenvolver um novo Felix para a RCA. A partir daí, surgiram a Sacola Mágica de Felix e também os outros personagens da história, Poindexter, Vavoon e o Professor. Nos anos 50, Oriolo desenvolveu um novo desenho do Gato Felix para a Trans Lux. Esse é o desenho que se tornou mais conhecido no Brasil e de onde veem os personagens Rock Bottom e Mestre Cylinder. O filho de Joe Oriolo, Don, seguindo os passos do pai, criou nos anos 80 um longa-metragem de Felix e posteriormente a série animada, Baby Felix. Esse era um desenho animado que mostrava as aventuras de Felix ainda bebê. Felix foi apresentado no Brasil em diversos canais de televisão, entre eles, Record, Gazeta, Tupi, Globo e recentemente no canal pago Boomerang.

Besouro verde
O Besouro Verde e o seu ajudante Kato O Besouro Verde (em inglês o nome é "The Green Hornet") é citado no episódio "O fotógrafo" (aquele mesmo episódio da cachorrinha Condessa), do Chapolin Colorado. No momento em que Chapolin está tirando várias toalhas de uma mesa, pois crê que debaixo dela está o fotógrafo (Carlos Villagrán), aparece um senhor (com um beiço estranho. Estranha também é a presença dele no local!!!!!) que segura as toalhas (segura as de cores vermelha, verde e amarela). Em um certo momento, Chapolin se indaga dizendo: Não entendo... Depois olha estranhamente para o beiço do senhor e lhe pergunta: Você não se enganou de programa? E o senhor lhe diz: Você não é o Besouro Verde? Pra quem não sabe o personagem teve início no rádio em 1936, criado por George Trendle (o mesmo criador do "Zorro" ou "Cavaleiro Solitário"). Para aproveitar o êxito que Batman estava tendo na década de 60, a Fox lançou uma série com o Besouro Verde que estreou nos Estados Unidos no dia 9 de setembro de 1966. A história mostra Britt Reid (Van Williams), editor e dono do jornal "Sentinela Diário", como o homem que se transforma no Besouro Verde, uma figura mascarada que defende o mundo dos malfeitores. Seu companheiro na luta contra o mal é Kato (interpretado pelo ator Bruce Lee), um chofer habilidoso nas artes marciais que nas horas vagas veste a máscara e corre pra luta. O seriado foi um grande estouro, principalmente pelo papel de Bruce Lee. Mas a série não alcançou o sucesso esperado devido ao grande êxito de Batman. Em uma tentativa desesperada para que a série continuasse, foi feito um combate entre Kato e Robin (o mesmo companheiro do Batman. Aliás, o Besouro Verde já foi visto dentro do seriado do homem morcego!!!!!!!!), sendo que a luta terminou em um empate. Entretanto, o Besouro Verde saiu do ar uma temporada depois dessa luta.


EM BREVE, MAIS...AGUARDEM!!!!

___________________

Webmaster: Igo Ralph

Créditos da seção: Igo Ralph, Igor C. Barros (foto e informações sobre Angelica María) e Lucas Silva (foto e informações sobre o Besouro Verde enviadas a partir do site Infantv).


© 2005 IGO RALPH DA SILVA CASTRO - BRASIL
Chaves, Chapolin e as demais séries são propriedades de Roberto Gómez Bolaños e de Televisa San Angel - MÉXICO
Séries surgidas na década de 1970 no México
EL CHAVO DEL 8 BRASIL - as páginas deste site são propriedades de seu criador

página inicial